segunda-feira, 30 de março de 2009

Mente, coração.

E no porque de pensar e de não sentir,
e no porque de lembrar e de não querer.
E no porque de não pensar e de sentir,
e no porque de não lembrar e de querer.
Porques em briga entre mente e coração.
E quando você chega ao ponto onde
a mente sente e o coração pensa,
assusta-se com o óbvio.
E é assim que se decide,
Mente coração.

2 comentários:

Armindo Kehl disse...

Belas palavras. Mente e coração sempre uma briga acirrada...

Tyaguim disse...

Que ótimo Lorena...
Feito uma onda que foi batendo com os quereres e sentimentos descritos aí...

Uai... o Armindo aí acima é camarada meu... Onde o conheceu?

P.S.: Acabei de chegar do seu baile de formatura... Sem sono vim pra internet e passei aqui. Beijo!